BrasilCoronaDestaques

CoronaVac é eficaz contra variante brasileira da covid-19

Foto: Rovena Rosa

 

A vacina CoronaVac, imunizante fabricado pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac, tem 50% de eficácia contra a variante P.1 da covid-19, que surgiu em Manaus e que já predomina em diversos estados do país. A efetividade em prevenir o adoecimento foi confirmada 14 dias após a aplicação da primeira dose.

O estudo foi feito com 67.718 trabalhadores da área da saúde de Manaus e foi divulgado hoje (7) pelo grupo Vebra Covid-19, que reúne pesquisadores de instituições nacionais e internacionais, secretarias estaduais de Saúde do Amazonas e de São Paulo e as secretarias municipais de Saúde de Manaus e São Paulo, apoiado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

A pesquisa ainda não avaliou a efetividade após a aplicação da segunda dose, o que vai ser coletado agora, nas próximas semanas. “Na análise interina, a efetividade da CoronaVac foi de 50% na prevenção da doença sintomática pela covid-19”, diz o relatório do estudo preliminar.

“Esses resultados são encorajadores porque a CoronaVac continua sendo efetiva na redução do risco de doença sintomática em um cenário com > (maior que) 50% de prevalência da P.1”, diz o estudo. “Esses achados apoiam o uso contínuo dessa vacina no Brasil e em outros países com a circulação da mesma variante”, disseram os pesquisadores.

Para o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, as pesquisas de campo estão comprovando a eficiência da vacina, assim como foi determinada a eficácia pelos estudos clínicos. “Se após a primeira dose a eficácia é 50%, espera-se que após a segunda dose esse percentual suba substancialmente”, disse Covas, citando outro estudo, feito no Chile, onde a CoronaVac também está sendo aplicada na população, que aponta uma diminuição na internação e nos óbitos de pessoas com mais de 70 anos.

A CoronaVac é uma vacina composta de vírus inativado, o que significa que ela possui todas as partes do vírus. Isso pode gerar uma resposta imune mais abrangente em relação ao que ocorre com outras vacinas que utilizam somente uma parte da proteína Spike (proteína utilizada pelo coronavírus para infectar as células). A vacina é aplicada em duas doses, com intervalo entre 14 e 28 dias.

Agência Brasil 

Comentários
Posts relacionados
CoronaDestaquesEsporte

Paranaense 2021: FPF denuncia falsificação de exames de Covid em atletas do Cascavel CR

A Federação Paranaense de Futebol (FPF) anunciou que o Cascavel CR tentou sabotar os exames de Covid-19 Comentários Compartilhe isso:TwitterFacebook
CoronaDestaquesPonta Grossa

PG registra quatro mortes e 58 novos casos de Covid-19

Ponta Grossa registra 58 novos casos de Covid na cidade. No total são 33.415 total de casos confirmados segundo a Fundação Municipal… Compartilhe isso:TwitterFacebook
DestaquesPolíticaPonta Grossa

AMTT e vereadores cobram prestação de contas sobre o uso de recursos pelo sindicato dos trabalhadores do transporte em Ponta Grossa

O vereador Daniel Milla oficiou a Prefeita Municipal Elizabeth Schmidt solicitando informações detalhadas e documentos sobre o fundo de assistência sindical repassado… Compartilhe isso:TwitterFacebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chat online
1
Olá. Posso ajudar?
tudo bem ?
Fique a vontade para mandar mensagem :)
faça parte do nosso grupo do Whatsapp