Opinião MZ Política Ponta Grossa Vitrine

Saúde de PG é ‘uma pedra no sapato’ da Prefeita Elizabeth

13/05/2022 | 19:46 Por Eduardo Matheus Modificado em 13, maio, 2022 8:59

Além de outros problemas enfrentados pela gestão da prefeita Elizabeth Schmidt (PSD), a saúde de Ponta Grossa tornou-se ‘uma pedra no sapato’ da gestora. A falta de estrutura, manutenção e investimentos na área geram insegurança na população da cidade. Hoje (13), a chefe do executivo recebeu os parlamentares da Câmara Municipal para tentar encontrar “soluções e expor seu festival de promessas”.

blank

Enquanto inúmeros ponta-grossenses agonizavam nas filas da saúde pública de Ponta Grossa, a prefeita Elizabeth gastou R$ 6,8 milhões em publicidade na imprensa. As propagandas foram divulgadas em horário nobre na televisão, todas pagas com o dinheiro público através de agências de publicidade.

Segundo interlocutores da prefeitura, a gestora tenta mascarar o momento caótico e a falta de popularidade do seu governo. No olhar da população, o valor deveria ser aplicado na restruturação e melhorias das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA).  

Só nesta semana, as reclamações sobre o péssimo atendimento na UPA Santa Paula tomaram conta da Web. Inúmeras imagens divulgadas nas redes sociais registraram mães esperando com seus filhos no lado de fora, no relento, e no frio.  

blank

Entre as diversas atrapalhadas da gestão da prefeita Elizabeth, recentemente, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) notificou o Governo Municipal sobre a possível privatização da saúde básica da cidade de Ponta Grossa. Com isso, As Unidades Básicas de Saúde (UBS) poderiam ser terceirizadas em estudos realizados pela atual gestão.

Integrantes da prefeitura fizeram contatos com uma empresa mineira a PBH Ativos, de Belo Horizonte. O Governo Municipal demonstrou interesse no modelo de gestão da PBH. Uma comitiva aqui da cidade foi autorizada pela prefeita Elizabeth para conhecer a empresa.

Em 2017, a PBH foi alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Denúncias apontaram irregularidades nos contratos da empresa. Além disso, no ano passado, a PBH foi mencionada em investigações que apuravam irregularidades no transporte público de Belo Horizonte. A PBH tentava renovar o contrato do transporte, no entanto, suspendeu o processo.

Mesmo diante de um cenário caótico, a gestão da prefeita Elizabeth ‘’disparou’’ mais uma de suas atrapalhadas, demonstrando o real interesse em uma empresa que já foi alvo de investigações.

Você tem algum comentário, dúvida ou opinião? Conta pra gente!


Chat online
1
Fale com o Portal MZ!
Tudo bem?
Fique à vontade para mandar mensagem :)
Faça parte do nosso grupo do Whatsapp!!