Dona de clínica de estética é investigada por procedimentos médicos não autorizados e promessas de cura para doenças incuráveis
Paraná Policial

Dona de clínica de estética é investigada por procedimentos médicos não autorizados e promessas de cura para doenças incuráveis

10/07/2024 | 17:45 Por Eduarda Malucelli Modificado em 10, julho, 2024 6:18

 

A Polícia Civil de Toledo, no oeste do Paraná, está investigando a proprietária de uma clínica de estética, acusada de realizar procedimentos médicos sem autorização e prometer a cura de doenças que ainda não têm tratamento eficaz. As investigações revelam que a suspeita cobrava entre R$ 20 mil e R$ 36 mil pelos serviços.

A mulher, de 61 anos, está sendo investigada por exercício ilegal da medicina, estelionato e lesão corporal. Seu marido, de 59 anos, que se apresentou como secretário da clínica, também está sendo investigado pelos mesmos crimes. Na terça-feira (9), a polícia fechou a clínica, apreendendo medicamentos, carimbos falsos e um jaleco usado pela suspeita para se passar por médica.

Segundo a polícia, a clínica era frequentada por idosos com problemas na coluna e mobilidade reduzida, atraídos pelas promessas de cura feitas pela proprietária. Em um áudio enviado a uma paciente, a suspeita orienta a ignorar os médicos e afirma ter curado pessoas com Doença de Parkinson, uma condição incurável. “Os médicos falam que Parkinson não tem cura, mas eu já tirei tanta gente que hoje está trabalhando. Estão boas até hoje, 10, 15 anos que eu fiz [o tratamento]. Não dá bola, esses médicos não sabem curar, isso porque eles só sabem dar químico para dor, entendeu?”, afirmou no áudio.

Os advogados da mulher negam a prática de qualquer crime e afirmam que os fatos serão esclarecidos no momento oportuno. A fachada da clínica anunciava serviços de tratamentos corporais e rejuvenescimento facial, mas, de acordo com o delegado Rodrigo Baptista, a proprietária não tem formação nas áreas de saúde e beleza. “Apresentaram uma documentação de uma formação que seria de terapeuta holística. Durante o interrogatório eu perguntei para ela o nome do curso e ela não sabia”, afirmou o delegado.

A Secretaria de Saúde de Toledo informou que a clínica possuía os laudos e vistorias necessários para seu funcionamento e estava autorizada a realizar atividades de estética não invasivas e vender cosméticos. Em outubro de 2023, a Vigilância Sanitária realizou uma inspeção e não encontrou irregularidades. No entanto, a Secretaria de Saúde afirmou que abrirá um processo administrativo para apurar a situação do estabelecimento após as recentes denúncias.

 

Com informações: G1 Paraná

Foto: RPC

Você tem algum comentário, dúvida ou opinião? Conta pra gente!


Chat online
1
Fale com o Portal MZ!
Tudo bem?
Fique à vontade para mandar mensagem :)
Faça parte do nosso grupo do Whatsapp!!